Whatsapp

55 11 98431 1335

Fale conosco

Ligue 55 11 2381 4409

Redes Sociais

Twitter icon
Facebook icon
LinkedIn icon
Google+ icon
RSS icon

Investimentos em condomínios industriais

Investimentos em condomínios industriais
Características dos condomínios industriais como opção de investimento em real estate

Por Rogerio Santovito e Sergio Negro

Acervo pessoal

"A grande capacidade de investimentos dos Fundos de Pensão, pode colaborar para que essa tipologia de empreendimento imobiliário contribua efetiva e positivamente para a retomada dos investimentos" Rogerio Santovito

Nesta edição, a coluna do Núcleo de Real Estate aborda um tema que é apontado como um dos mais promissores para impulsionar a retomada de investimentos no setor do real estate: o desenvolvimento de condomínios industriais.

Recentemente os veículos de mídia especializada vêm dando cada vez mais espaço para essa tipologia de empreendimento, que está notadamente em expansão no entorno da região metropolitana de São Paulo, no eixo das grandes rodovias de acesso à capital. Tal nível de atividade contrasta com o clima sombrio com que o meio vinha convivendo desde a eclosão em escala global da crise nos mercados financeiros, em meados de 2008. A postergação ou mesmo cancelamento de projetos, seja devido ao comportamento dos mercados (retração da demanda), seja pela redução na oferta de capital para novos investimentos, repercutiu fortemente no setor do real estate. Desse modo, a atual sinalização de que existem oportunidades de investimento em mercados até então ofuscados pela exacerbada pujança dos desenvolvimentos imobiliários residenciais, atrai novamente o interesse dos investidores institucionais, tradicionais fomentadores do setor. Assim, discute-se neste artigo as principais características dessa tipologia de empreendimento e sua atratividade como investimento.

Contexto macroeconômico do setor industrial

A mudança de perfil do setor industrial brasileiro, particularmente no Estado de São Paulo, é fruto de um mercado cada vez mais complexo e dinâmico, onde todas as áreas de uma organização devem assegurar responsividade e alinhamento de recursos. Nesse sentido, as operações empresariais são permanentemente reavaliadas, procurando com isto adequar a atividade industrial às novas exigências de competitividade. A concentração no core business e a otimização no gerenciamento da infraestrutura corporativa têm se tornado prioridade para as organizações de modo geral e particularmente para as empresas do setor industrial.

Verifica-se que as empresas estão em busca de novos espaços, junto aos centros de importação, para suprir novas necessidades de operação, e a complexidade da infraestrutura industrial continua aumentando, sendo nos dias de hoje imperiosa a necessidade de redução do número de parceiros envolvidos com processos relacionados à infraestrutura corporativa. O foco das empresas que se instalam em condomínios industriais não é voltado para as questões administrativas desses, levando à tendência mundial de contratação de empresas de serviços, ou Gerenciamento de Facilidades. No setor industrial há diversas empresas atuantes, de porte diversificado ou em segmentos específicos, tais como manutenção, limpeza, vigilância, portaria, segurança etc., e que visam proporcionar aos condomínios tranquilidade na execução da rotina administrativa e gerencial, preservando-se assim o estado físico do patrimônio imobiliário que suporta a atividade industrial.

As recentes alterações na regulamentação das entidades fechadas de previdência complementar, ou Fundos de Pensão, somadas ao movimento de queda da taxa básica de juros da economia brasileira, fez com que os gestores dos investimentos desses fundos reavaliassem as suas estratégias de investimento, até então bastante concentradas em títulos do governo, para analisar com maior atenção investimentos em setores que apresentam potencial para melhores rentabilidades, tal como o real estate. Nesse contexto, os condomínios industriais vêm sendo oferecidos para análise dos gestores como oportunidades de investimento atrativas, por apresentarem bom desempenho no longo prazo, baixa volatilidade dos retornos e baixa correlação com outros ativos de investimento.

Entretanto, os investimentos em imóveis exigem estudos nos âmbitos mercadológico, jurídico, tributário e até mesmo corporativo (quando se tratam de operações com ocupação definida), devendo ser avaliadas as características dos projetos. Cada oportunidade de investimento exige um estudo específico, não havendo uma regra padronizada que atenda todos os setores de atividade econômica em que um condomínio industrial pode estar inserido. Entretanto, alguns elementos de avaliação decorrentes das características comuns dos empreendimentos dessa tipologia podem ser elencados.

Inicialmente, algumas informações a respeito da atividade econômica da cidade ou região onde o projeto está inserido são essenciais para a análise da oportunidade de investimento. Tais informações podem ser relativas a:

Participação em arrecadação, Fundef (Fundo de Manutenção e Desenvolvimento do Ensino Fundamental e de Valorização do Magistério) ou Fundo de Participação dos Municípios;

Indicadores sociais, tais como número de domicílios com infraestrutura urbana adequada e renda domiciliar per capita em salários mínimos;

Mercado de trabalho, com o rendimento médio e o total de empregados nos diferentes setores (indústria, agropecuária, construção civil, comércio ou serviços);

Indicadores econômicos, como o PIB (Produto Interno Bruto) da região e participação dos diferentes setores na composição desse PIB.

Em seguida, é preciso verificar a modalidade da oportunidade de investimento, qual seja com ocupação definida (Build to Suit) ou especulativa, para oferta ao mercado. Em função dessa verificação, são desenvolvidos estudos sobre a capacidade produtiva da empresa ou de mercado, respectivamente. Além disso, é necessário identificar se a utilização do imóvel estará voltada para atividades de produção ou armazenamento.

Tendo em vista os objetivos de ocupação desejada para o empreendimento, é preciso atentar para restrições urbanas ou ambientais específicas e a eventual necessidade de atendimento às obrigações ambientais.

É preciso, evidentemente, identificar a situação jurídica do imóvel e da sua cadeia de transmissão. Assim, uma verificação da ocupação anterior do imóvel e análise de passivos ambientais confere maior segurança para o gestor de investimentos.

No âmbito tributário, os principais aspectos das operações estão relacionados aos incentivos fiscais municipais e estaduais que podem ser obtidos. O contexto atual é de cidades competindo pela instalação das indústrias, uma vez que essas atraem empregos e novos investimentos. Assim, os governos municipais podem ser aliados muito importantes na viabilização de um projeto dessa natureza, e não devem ser vistos como meros depositários da fé pública para questões técnicas da operação.

Características dos condomínios industriais

Ao serem analisadas as oportunidades de investimento em condomínios industriais, após o estudo do ambiente onde o mesmo está inserido, é necessário que se verifique determinadas características físicas do empreendimento, uma vez que estas podem reduzir ou melhorar o padrão de inserção dos projetos nos mercados competitivos. Os novos meios de produção e distribuição do setor industrial brasileiro impõem uma renovação do estoque de empreendimentos imobiliários que compõem o atual parque industrial instalado no Brasil, sendo que, ao se reformar empreendimentos já existentes para operarem na modalidade de condomínio industrial, não somente as questões relativas ao eventual passivo ambiental devem ser observadas, mas também restrições técnicas e eventuais demolições, as quais podem elevar sobremaneira os custos de implantação do projeto.

Por apresentarem projetos arquitetônicos mais flexíveis, os novos condomínios industriais podem absorver o crescimento das cidades, e variações nos mercados em que competem, podendo inclusive se tornar escritórios horizontais, com baixos investimentos em retrofit.

A principal característica dos condôminos industriais é a sua utilização compartilhada por várias empresas, e assim, custos de operação e gerenciamento de facilidades podem ser rateados e gerenciados de forma profissional e eficiente. Nesse aspecto, é importante notar que o item segurança é atualmente o maior custo dos empreendimentos industriais - com exceção obviamente dos custos de produção.

As utilidades como energia e água são medidas individualmente, e têm sua infraestrutura de distribuição compartilhada, gerando ganhos de produtividade na operação desses sistemas, e maior controle dos custos por parte das empresas. Da mesma forma, ganhos com a infraestrutura de telecomunicações são possíveis pela negociação em escala dos contratos.

Outro aspecto bastante importante é que, ao se desenvolver o empreendimento como um condomínio industrial, se ganha em eficiência de projeto de arquitetura, com melhor aproveitamento de áreas de construção, uma vez que elementos como pátio de manobra e infraestrutura de apoio (vestiários, cantinas etc.) são compartilhados entre as empresas e podem, dessa forma, ter sua utilização otimizada.

Elementos de atratividade para o investidor institucional

A flexibilidade de projeto arquitetônico do empreendimento dá melhores opções ao investidor para absorver conturbações de mercado.

Um melhor aproveitamento do terreno, com menos pátio de manobras para caminhões, faz com que o custo de aquisição do terreno seja relativamente menor que empreendimentos industriais isolados.

Por envolver grandes volumes de recursos financeiros para sua implantação, as tranches (divisão de contratos em série) de investimentos são normalmente altas, o que é adequado para os investidores institucionais, por conta dos custos administrativos de cada operação. Eventualmente, determinado projeto pode ter sua implantação realizada em fases, para atender às especificidades de tranches de investimento de cada investidor.

Uma vez que o empreendimento se configura como condomínio, ocorre uma natural diversificação de riscos por conta da pulverização de inquilinos. Eventualmente, esse vetor de atratividade pode ser minimizado se as empresas atuarem todas no mesmo setor econômico (tal como as sistemistas do setor automotivo, por exemplo), estando, portanto, sujeitas às mesmas influências de seus mercados de atuação.

Finalmente, um ponto a se destacar como atratividade do investimento é que, por congregar todas as características técnicas que são hoje buscadas pelas empresas, os condomínios industriais são transacionados com valores de locação até 25% maior que o de produtos built to suit, com melhor preservação do patrimônio imobiliário.

É notório que os Fundos de Pensão - com raras exceções - têm reduzida capacidade de gestão dos empreendimentos imobiliários nos quais investem, seja pelo alto custo da equipe própria de gestão, seja pela dispersão geográfica dos projetos. Assim, considera-se que o modelo de investimento utilizando-se estruturas como os fundos de investimento imobiliário seja mais adequado para o Fundo de Pensão, haja vista as recentes regulamentações destes fundos.

A grande capacidade de investimentos dos Fundos de Pensão, aliada à competência técnica das empresas de gestão do patrimônio imobiliário, pode colaborar para que essa tipologia de empreendimento imobiliário contribua efetiva e positivamente para a retomada dos investimentos no setor do real estate.
http://revista.construcaomercado.com.br

CCRE Desenvolvedora Imobiliária / Gestão Facilities - 55 11 2381 4409
Sua empresa busca imóvel industrial ou logístico? Construímos e alugamos pra você! A CCRE incorpora, identifica o projeto, financia, gerencia, aluga e administra condomínios industriais e logísticos.
Leia mais

Lista propriedades com sistema de busca e localização

CCRE Incorporadora e Administradora de Imóveis!

Lista Propriedades

Fale conosco

Ligue 55 11 2381 4409

Grupo Catena & Castro

Somos uma plataforma independente que desenvolve soluções inovadoras no mercado corporativo.